O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




domingo, 28 de fevereiro de 2010

Olhares

















Agora estás exposta
aos olhos do mundo
Já foram flagrados
teus amores secretos
E a noite devorou
teus mil segredos
Todos teus desejos
São rasos conhecidos
Dá adeus, despede-te !
Dos encontros clandestinos
Caíste nas lentes
do olho indiscreto
Agora estás nua
no centro do maior teatro
Partiu o espelho
em que te vias invisível
Na enorme platéia
só há olhos cretinos
E tua vida é o espetáculo
desta vil exibição
Logo tu que julgavas
o olhar como previsível
Não acreditavas
nos espiões escondidos
Agora partiu o cristal
O vento sacode os panos
aos olhos do mundo

Ivan Cezar



Diálogo Poético - Colaboradores:Ivan Cezar

3 comentários:

Pérola disse...

Boa noite.
Os olhares são bastante significativos e em algumas situações dispensa qualquer palavra.
Adorei a sua postagem,parabéns.
Um beijo grande.

Pérola disse...

Vim te desejar uma exelente semana.
Uma linda noite e um beijo grande.
Obrigado por tua visita.
beijos.

Ianê Mello disse...

Ivan,

belíssima participação.

Bom que esteja conosco.

Grande beijo.

Related Posts with Thumbnails