O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Nossa Soma

2 comentários:

Pérola disse...

Que poema romântico!!!
Belo demais.
Parabéns.
beijos

Solange disse...

muito lindo o teu poema..
"num só ritmo vamos ao paraíso"..
bem colocado!
bjs.Sol

Related Posts with Thumbnails