O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Complexidade...





















Não deveria estar triste,
Mas de fato estou
Queria não ter ansiedade,
Mas estou ansiosa.


Desprezo a autopiedade,
Mas sinto-me fraca para abandoná-la.
Quero mover-me rapidamente,
Mas meus passos estão inertes.


Tinha o ideal de muito construir,
E a realidade só fez destruir.
Almejei tantas coisas
que se esvairam ao vento


Revolto-me contra a indiferença
que eu sinto ao meu redor
Uma chuva suave está caindo
Mas meu coração quer tempestade


Rejeito o mundo externo
E mergulho na minha intimidade.
Um jogo de realidade e ilusão,
A verdade lutando com a mentira.


E quem pode dizer
o que é certo ou errado?
e nessa confusão
de meus pensamentos
sinto-me extenuada


Por saber que somos medidos
pelo que temos
não por quem somos
essa é a moral do mundo


Maria Bonfá

3 comentários:

Cris disse...

O certo ou o errado não existe e as pessoas deveriam valorizar mais os sentimentos do que as posses. Ótimo texto! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Ser ou Ter, eis a questão... :)

VAN disse...

Complexidade: mix de emoções, sensações, desejos, desilusões...
Todos os sentimentos são bem-vindos. E a moral do mundo é a moralidade de cada SER!

VanessA

Related Posts with Thumbnails