O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




domingo, 28 de fevereiro de 2010

Espírito da vida

                                                            Pintado por: Bravo




Sirva-se de um copo
E beba
Saboreie a dor
Do ser
Cuja memória
Não se apaga
Num futuro distante.
Na sombra
Que se esvanece
Na pura luz
Nasce
O espírito da vida.


Bravo



Diálogos Poéticos - Colaboradores: Bravo

2 comentários:

Ianê Mello disse...

Que bela imagem!

Que belo poema. Seja bem vindo.

Bravo!!!!

Beijos

Nalva disse...

Vai... volta pro lugar de onde vieste,ouve o chamado?

Mistura-te a natureza,
alma impura!
Lança raízes,do passado,
Não te aflijas que a vida continua!

***
linda imagem!

Related Posts with Thumbnails