O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Ilusão...




















Vida que insiste
Em permanecer
Na sua,
Amor ainda quer ter o seu,

Coração que não aprende...
Vive a sonhar com o
Que se foi
Perde tanto tempo
Recordando e

Esquece que o tempo passa,
que cada dia é diferente
E nada tem volta

Por mais que
Lamentamos...
As coisas são
Como são.
..


Maria Bonfá


Diálogo Poético - Colaboradores: Maria Bonfá

6 comentários:

Pérola disse...

Já passei tanto por isso.
Opto pela estabilidade dos meus sentimentos.
Um beijo grande.

Ana Tapadas disse...

Belo poema

LLacerda disse...

belas palavras, porem trites..

gostei do seu blog, vou seguir.

Abraços

Ianê Mello disse...

L Lacerda,

bem vinda.

Apenas um esclarecimento: esse blog é coletivo; foi por mim criado com este fim.

Pode observar que há postagens de diversos autores.
Grata pela l visita e volte sempre.

Beijos.

Solange disse...

lindo poema..me encaixo perfeitamente nele..rs
bjs.Sol

Rafael Castellar das Neves disse...

Verdade...por mais que tentemos, ele insiste em perder tempo em recordar dores que não deveriam perpetuar...

Muito bom aqui...

bjo

Related Posts with Thumbnails