O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Não Podemos deixar uma Janela Fechada.



A janela fechada não revela
Nos aprisiona num mundo
puramente interior
Assim não vemos o belo
que, ao abrí-la, nos espera
Como um sincero sorriso
de alguém que nos quer bem
ou, quem sabe, o paraíso,
nos olhos de um outro alguém.

Ianê Mello



Diálogo Poético - Colaboradores: Machado de Carlos ( ilustração), Ianê Mello


4 comentários:

Ianê Mello disse...

Que lindo , amigo!

Obrigada.

Grande beijo.

Lice Soares disse...

"Não basta abrir a janela..."

Ianê Mello disse...

Lice,

lindo, não?

Beijos.

Rhackell em procedimento disse...

Já dizia Los Hermanos," abre essa janela, primavera quer entrar..."

Related Posts with Thumbnails