O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 16 de novembro de 2010

SER




Estanho
esteio
estranho
esquecido
espaço
enlaço
estremeço....



Ianê Mello




SER-SE


Seja eu, sejas tu. Verbo no imperativo, passional, imperfeito.
Ser eu, seres tu. Impessoal, colheita noturna solitária e humilde.
Voar.
Impossível ver os anéis, quando se voa. À toa.
Voar-se é ser-se apesar dos anéis, dos vínculos,
da farsa do gregário e do incerto.
Deserto.
É isso, então. Ser é ser-se.







Jane Chiesse



6 comentários:

Lídia Borges disse...

Um jogo de palavras que se enlaçam num abraço perfeito.

Um beijo

Mgomes - Santa Cruz disse...

Iané: Tu isso é posivel num ser humano.
beijos
Santa Cruz

Jane C.Z. disse...

Lindo! Adoro este minimalismo.

Ianê Mello disse...

Obrigada, Jene. Bjs.

Jane C.Z. disse...

SER-SE

Seja eu, sejas tu. Verbo no imperativo, passional, imperfeito.
Ser eu, seres tu. Impessoal, colheita noturna solitária e humilde.
Voar.
Impossível ver os anéis, quando se voa. À toa.
Voar-se é ser-se apesar dos anéis, dos vínculos,
da farsa do gregário e do incerto.
Deserto.
É isso, então. Ser é ser-se.

Ianê Mello disse...

Lindo,
amiga Jane.
Já está postado com as devidas honras.

Bjs e apareça sempre.

Related Posts with Thumbnails