O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 2 de novembro de 2010

CAI CAI





CAI
CAI




E
Se
Cair
O
Po
E
Ma
?



Se 
Ele 
Cair
De
Ver
Da
De
?

De
Es
Tre
Las
É
Po
E
Ma
?


P
o
e
m



Ver
ti
gem


A
bis
mo


Que
da
no
fun
do
do
po
ço



O

De
Ma
Nhã
Cair
Len
Ta
Men
Te


Po
e
ma
mo
rre
mo
ço


A
pe
nas
um
es
bo
ço

Ianê Mello  e Beto Palaio

10 comentários:

Otário disse...

esplêndido!

Paulo Francisco disse...

E o poma não caiu, permaneceu ali, junto as estrelas...

Zélia Guardiano disse...

Belíssimo poema!
Parabéns!
Abraços

Luiza Maciel Nogueira disse...

muito muito bom!

bj

Ianê Mello disse...

O.
Obrigada. Volte sempre.

Ianê Mello disse...

Paulo,

que bom que gostou.

Abraço.

Ianê Mello disse...

Obrigada, Zelia .

Bjs.

Ianê Mello disse...

Volte sempre, Luisa. Bjs.

Jairo Cerqueira disse...

Uma deliciosa cascata poética onde poesia e forma nos banham com qualidade e sensibilidade.
Valeu, dupla!

Ianê Mello disse...

Valeu Jairo, sempre atento. Bjs.

Related Posts with Thumbnails