O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 13 de novembro de 2010

OS MULTIFORMES



Algumas folhas estão amarelas,
ou de um amarelo avermelhado,
ou de um vermelho esverdeado,
ou de um verde acinzentado,
ou de um cinza esbranquiçado,
ou de um branco empalidecido,
ou de um pálido ensombrado,
ou de uma sombra enegrecida,
ou de um negro profundo,
ou de um infinito incandescente,
ou de um fogo insano,
ou de um louco desejo,
ou de uma paixão
há muito esquecida...

Algumas pessoas são violeta,
ou de uma violeta flor,
ou de uma flor perfumada,
ou de um perfume inebriante,
oude um inebriante viver,
ou de um viver pulsante,
ou de um pulsante coração,
ou de um coração aventureiro,
ou de uma aventura inconstante,
ou de uma inconstante busca,
ou de uma busca incessante,
que finda no possível encontro.

Algumas rosas estão formosas,
ou de uma beleza relativa,
ou de um relativismo coeso,
ou de uma coesão esgarçada,
ou de um esgarçar metódico, 
ou de um método esquecido,
ou de um esquecer constante,
ou de uma constância cruel,
ou de uma crueldade ciumenta,
ou de um ciúme amoroso,
ou de um amor ilimitado,
ou de um limite tímido,
ou de uma timidez atraente,
ou de uma atração adiada,
ou de datas postergadas
que logo se realizarão.

Algumas vidas estão azuladas,
ou de um azul cor de anil,
ou de um anil cor de céu,
ou de um céu ensolarado,
ou de um sol brilhante,
ou de um brilhante rubi,
ou de um rubi furta-cor,
ou de um furta-cor reluzente.
ou de um reluzente amor,
ou de um amor eternizado,
ou de um eterno encantamento,
ou de um encantamento apaixonado,
que faz reluzir os amantes.

Beto Palaio e Ianê Mello


Multiformes, multicolores
Tantas coisas, tantos odores
Tantas luzes, tantas flores
Tantas folhas, tantas cores
Tantas pessoas, tantos amores
Tantas rosas, tantos perfumes
Tantas vidas, tantos ciúmes
Tantas tristezas, tantas maldades
Tantas alegrias, em tantas idades
Tantas dores, de tantas colhidas
Tantas chegadas, tantas partidas
Tantas maldades, tantos carinhos
Tantas ternuras, de tantos ninhos
Tantos gemidos e tantos ais
Tantos sofrimentos, em tantos cais
Multiformes e universais….



Joaquim Vale Cruz

12 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá querida amiga, nos cruzamos sempre no facebook, aqui como hanukká, e como Valvesta, bom mesmo é ter sua amizade, e ler de ti essas lindas poesias, beijos com carinho.

Palavrácido disse...

São belas palavras quantas cores eu vejo, cheia de alegria, cheia de amores. Fico extremamente grato pela leitura, acrescenta ao nosso coração, irradiando luz e paixão nas almas. É bem bonito visualizar e simplesmente não esquecer, que em tantas idades, também é possível viver.

Atenciosamente,

Dan

Ninna disse...

Olá, adorei esse blog.
Já estou seguindo!!

abraço

Paulo Francisco disse...

ou isto ou aquilo. Gostei!

Thiago disse...

Parabéns pela poesia!

O que mais gostei foi da variedade de palavras fazendo esse comparativo com o ciclo de existência. A vida é mesmo multi-facetada, cabe a nós escolher o momento de usar as mascáras certa.

Abraço,

Thiago

Ianê Mello disse...

Valquiria,

é também um prazer para mim tê-la por perto.

Beijos com o mesmo carinho.

Ianê Mello disse...

Dan,

belas palavras as suas.

Obrigada pela presença.

Bjs.

Ianê Mello disse...

Ninna,

fico feliz por isso. :)))

Bjs.

Ianê Mello disse...

Paulo,
assim pode ser....

Bjs.

Ianê Mello disse...

Thiago,

absorveste bem o sentido do poema.

Obrigada pela participação.

Bjs.

Otelice disse...

Nossa...
(penso que tenho que dizer alguma coisa, né?)
Ah, então, vou gritar:
AMMEEEEEIIIII!!!!...

Ianê Mello disse...

Lice,
amiga de longa data.
Sempre um prazer te receber.

Brigaduuuuu!!!!!!

Related Posts with Thumbnails