O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 23 de outubro de 2010

Vestida de Palavras


Procuro a poesia certa, 

como uma roupa na medida exata, 

para vestir a minha alma nua. 

- Byafra - 

Alexandre Jacques Chantron 

Palavras que me vestem
como uma nobre dama
com a perfeição celeste
do corpo que é a chama

Palavras belas e puras
Palavras por vezes cruas
Palavras que se perdem
Palavras que se medem

Palavras... palavras...
Buscadas à exaustão
Palavras como lavas
de um vulcão em erupção

Simples palavras vãs
que dissolvem a solidão
Palavras que são divãs
que enredam doce paixão

Palavras que em seu olhar
me livram da escuridão
Palavras sim, palavras não
Palavras do verbo amar

Ianê Mello




Vou-te vestir de palavras
todas ditas com paixão
para ver se tu acabas
por me tirar a razão

Palavras dos teus cabelos
e da tua face também
do teu pescoço e teu peito
desnudados no meu leito
do teu corpo onde me deito
quando o desejo nos vem

Palavras da tua cintura
e do teu ventre a mistura
e do teu pubis em fogo
com tuas pernas em jogo
de todo o teu corpo sem fim
que eu quero só p'ra mim...

Mas quando teu corpo vi
só com beijos, o cobri....


Joaquim Vale Cruz

4 comentários:

Ava disse...

Querida, estamos sempre na busca por palavras diferentes, novas, impactantes, que possam traduzir nosso sentir, mas acabamos sempre nas mesmas palavras do verbo amar...


Beijos meus"!

Mila disse...

Linda e instigante sua poesia...
Bjs
Mila

Ianê Mello disse...

Sim Ava, sempre é esse o desfecho. Beijo grande.

Ianê Mello disse...

Obrigada, Mila, Bjs.

Related Posts with Thumbnails