O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O poeta e o poema

6 comentários:

M@ria disse...

Um espelho não guarda as coisas refletidas!
E o meu destino é seguir... é seguir para o Mar,
as imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar...
toda a tristeza dos rios
é não poderem parar!

Mário Quintana

Belo amanhecer e um FDS abençoado! M@ria

Mgomes - Santa Cruz disse...

Ianê: Parabens aos dois, lindo poema sobre o poema e o poeta. Eu costumo dizer que o poeta tem um pouco de Louco, e também que o poeta nunca se engana por escreve aquilo que não existe, sabemos que há coisas que são escritas da propria esperiencia da vida mas a maior parte são inventadas.
Beijos
Santa Cruz

Ianê Mello disse...

Obrigada, amigos, pela presença e comentários.
Voltem sempre. Grande beijo.

Marcelo Torca disse...

Gostaria de saber se o Raizonline tem o logotipo estampado em camiseta, boné ou para ser colado no vidro do carro. Acredito que seria uma boa propaganda, inclusive de identificação de ideiais.

Ianê Mello disse...

Olá, Marcelo, seja bem vindo.
Desconheço se existe.
Obrigada pela presença.
Abraço.

Lúcio Tércio M. Alencar disse...

Oi, Ianê! Linda poesia sobre CAptu, mulher enigmática e sedutora. Belíssima poesia - a dança entre o poeta e a poesia. Exprime com muita beleza o processo criativo. Abraço!

Related Posts with Thumbnails