O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 26 de outubro de 2010

Ausência


Francine Van Home


Amanheço em tons e sons
soturnos
quase inaudíveis
O sol de faz presente
nas frestas da janela
entraberta...
Vazio da angústia
da espera
Solidão
Não...
...quero me bastar
Aprender a ser só
Mas meu corpo
clama
a sua presença
Minha alma 
chama
pelo seu terno amor
Sou sua
e de mim
me perco
e me refaço
em sua presença
em luz
em sol
em cor.


Ianê Mello




Em ti me amanheço
e nem me conheço
nem sequer mereço
teu querer
teu sonhar
mas ao madrugar
é bom encontrar
teus braços
teus laços
tão ternos
fraternos
convidando a amar...
Não quero a angústia
de ter de esperar
nem a solidão
de corpos ausentes
nem essa paixão
que nos põe doentes
quero ver a luz,
o sol
e a côr
que por fim nos trazem

um tão lindo amor...



Joaquim Vale Cruz

5 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Belíssimo poema, amiga!
Parabéns pela sensibilidade!
A imagem é perfeita!

Beijos, querida.

Cria disse...

Sempre bom estar aqui !! Beijo.

Beto Palaio disse...

Para além do tempo. Onde os impedimentos não nos enreda. Ali estamos sempre juntos. Numa aura de amor que é enlevo e promessas de um eterno amor. (te adoro, florzinha)

Ianê Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ianê Mello disse...

Verdade amor,
nosso amor nos faz renascer.
Te amo muito.

Related Posts with Thumbnails