O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Noites Intermináveis


Noites Intermináveis


Todos os dias dos grandes amores!
Na fonte, na alma, no frasco contido
Que lança no ar o olor florido:
...Diamantes lapidados!... Arcos... Cores...

Ouviram belos sons nos bastidores;
Foram noites e noites de alaridos!...
Havia, na alcova: — corpos inibidos!...
Das almas, como reles caçadores...

De tanto amor na escuridão,
Amantes: — Sedentos de paixão;
Seguem compassos, ambos silentes!...

Amanhece!... Inda há beijos de prazer,
Haverá outro clima ao anoitecer;
Esperam as loucuras!... Mais quentes!...

(Machado de Carlos/Reggina Moon)


Publicado no Recanto das Letras
Código do Texto: T2500309

5 comentários:

pINEL disse...

Lindo soneto.
Parabéns à ambos.

Grande bj.

Ianê Mello disse...

Parabéns aos dois , belíssimo soneto.

Bjs.

Solange disse...

belo..
bjs.Sol

Lou Albergaria disse...

Machado, também quero parceria contigo uai!!!

Ensina-me a fazer soneto! Quero ser sua parceira também!

BEIJO GRANDE a você e à Reggina!!!!

Lindo demais!!!! Adorei!

Sandra Botelho disse...

Lindo de viver...
Bjos achocolatados

Related Posts with Thumbnails