O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 23 de janeiro de 2010

Vida





A vida...
Sonha a vida em nossos descansos
E, quando cansados, nos silenciamos.
Vem a vida a cantar, em nossos silêncios,
A nos falar de sonhos, esperanças,
Pondo-nos, de novo, a caminhar.
E, quando em prantos calamos os nossos corações,
Vem-nos a vida, sorrindo, nas manhãs, acenando-nos, pelo ar.
Arrastando-nos, então, a respondemos e pomo-nos a caminhar.
E, quando o sol se põe por detrás das nossas esperanças,
E a noite nos traz, em procissão, todas as lembranças,
Vem a vida, outra vez, nos dizer que um novo dia está para raiar.
E alada vem, asas gigantes, beleza infinda, sobre nós pousar.
Vida... antes da Verdade, antes da Beleza, constituída.
A mais bela das existências antigas,
A vida sobre nós... a vida. 

Lice Soares







Diálogo Poético - Colaboradores: Machado de Carlos, Lice Soares

4 comentários:

Joao Gil disse...

Façam uma visita.:)



http://mmeloup.wordpress.com/

Sandra Botelho disse...

Lindo texto...
Bjos meus!

Lice Soares disse...

Aqui estou, amigo, a acompanhar-te na Vida.
Espero que contribuido de alguma forma.
Abraços.

Ianê Mello disse...

Belíssimos textos, Carlos e Lice!

Parabéns aos dois.

Grande beijo.

Related Posts with Thumbnails