O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 16 de janeiro de 2010

Segredo


Há um segredo guardado,
Além de ti revelado,
Pequeno ser.
E das palavras emudecidas,
na tua boca,
E da boca calada, a estremecer,
Faz-se um canto silencioso,
Só escutado por ti

(...)


O que esconderás em teu silêncio
no mais recôndito de tua alma
Relicário de lembranças de um passado
Memórias inconscientes inauditas
Mistérios a se revelar com calma
Com a paciência de um monje tibetano
 (...)


Será que um dia talvez
 de tua boca ouvirei o segredo encantado
e quem sabe dessa vez
ao revelar-se  o tão cultivado,
a partir desse momento,
aberta a Caixa de Pandora
fuja todo o encantamento
que se guardava até agora
e o mistério uma vez findo
transforme em indiferença
e vá aos poucos se diluindo
a paixão que se mantinha na crença.



Poesia Interativa - Colaboradores (em ordem de postagem): Lice Soares, Ianê Mello.

2 comentários:

Lice Soares disse...

Quem poderá ajudar-me a desvencilhar este segredo?

Ianê Mello disse...

Lice,

boa proposta...

vamos lá.

Beijos.

Related Posts with Thumbnails