O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 26 de janeiro de 2010

O Poeta e a Flor

Machado de Carlos




Como a flor da poesia
que a doce alma encanta
O amor que alumia
e em versos se decanta

Com a primavera, as flores
Com o perfume, os amores
Inundando de beleza
nossa alma benfazeja

E a flor tão cultivada
Conserva em si o perfume
Da mulher que de tão amada
Brilha no escuro o lume


Ianê Mello




Diálogo Poético - Colaboradores: Machado de Carlos, Ianê Mello

2 comentários:

Sandra Botelho disse...

Suave e lindo poema...
Bjos no coração!

Ianê Mello disse...

Sandra,

obrigada, querida.

Não quer ficar por aqui, já que está sempre presente? Pense no convite.

Bjs em seu coração também.

Related Posts with Thumbnails