O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quarta-feira, 28 de abril de 2010

Quando Jaz um sentimento




Bate o coração dentro do peito
Desafiando a lucidez de uma razão           
Explode loucamente e desse jeito
Acaba de uma vez seu sofrimento. 
Descompassando cada vez suas pancadas
Digladiando com a massa cerebral,
Bate o coração dentro do peito
Anunciando o seu estado terminal.
           
 Triturado por um cérebro pensante
 Jazendo derrotado e amargurado
 Vendo o túmulo que está ao teu aguardo
 Levanta a seguinte indagação...

_ Fosse esta briga com um cérebro idiota
Estaria eu caminhando para a morte?



Jairo Cerqueira  2004



Jazeis


Aqui escutando jazz
Que como o amor
Vem sincopado
E cheio de improviso
Jazer olhando o teto
Ainda me inflama
Sentimento e jazz
Nos dois
Mudanças rápidas
De tom e humor
E meu coração
Bate no ritmo
Do viver
Tem percussão
Mesmo jazida




Ulisses reis®




Diálogos poéticos: Jairo Cerqueira, Ulisses reis

5 comentários:

mARa disse...

...Sentimentos de Amor...incerto...

Versos sentidos.


Namastê!

Ianê Mello disse...

Mara,

Obrigada pela presença e carinhoso comentário.
Volte sempre.

Namastê.

Zélia Guardiano disse...

Lindo! Lindo! Lindo!
Demais!
Parabéns!
Abraços

Gookz disse...

será que nesse jazir (é assim que escreve?) num rola um flash back?
hehe
com todo resoeito ao sentimento...

Ianê Mello disse...

Belos poemas.

Obrigada, meus amigos.

Grande beijo.

Related Posts with Thumbnails