O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 10 de abril de 2010

... E Ela Veio!

6 comentários:

Cris de Souza disse...

Belo, belo!

ღPat.ღ disse...

Simplesmente brilhante!
Parabéns Poeta.

Zélia Guardiano disse...

Lindo demais! Deve ser muito bom ser o motivo de um amor assim...
Parabéns!
Um abraço

Taninha Nascimento disse...

Olá!

Estou passando para conhecer o blog melhor.

Gostei das boas vindas falando sobre a difícil arte de achar o equilíbrio das e nas "coisas".

Os poemas sugerem altos voos, rasantes e pairações...

Bravo!

Bjs!

Mateus Luciano disse...

mares confotaveis poco navegaveis
estravagante...

Pérola disse...

Vc me encanta com teus lindos versos.
Parabéns.
Beijokas.

Related Posts with Thumbnails