O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quinta-feira, 22 de abril de 2010

A Flor de Abril

4 comentários:

Pensamentos da Mila disse...

A dor do nosso passado sempre nos ajudará a viver e superar a dor do presente e as do por vir...elas não acabam.
Belo soneto!
Bjs
Mila

Priscila Rodrigues disse...

Olá, vim do blog do AS. Adorei as poesias, as vezes brinco de escrever, mas só brinco, um dia eu escrevo poesias assim.. rs.

Vou seguir pra me atualizar dessas maravilhas.

Beijos....

ღPat.ღ disse...

Admirável teus poemas, amigo.

Beijos.

Zélia Guardiano disse...

Muito bonito!
Parabéns!
Um abraço

Related Posts with Thumbnails