O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 13 de abril de 2010

3 comentários:

Marcello disse...

Lindo Mirse.

Parabéns

Ana Tapadas disse...

O poema de Mirse é muito bonito. Suave e profundo!
bj

Zélia Guardiano disse...

Simplesmente lindo! Sinto-me a balançar...
Parabéns, Mirse!
Um abraço

Related Posts with Thumbnails