O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 16 de julho de 2010

A passagem do tempo

Pintura de Salvador Dali

quando a poesia lambe o pulso
o ponteiro do relógio
se dissolve


Geraldo de Barros


Os dias se tornam noites
As noites se tornam dias
A insônia assume letras
que no papel irradia

Ianê Mello
***
Tem gente que põe sentido no Tempo
bem na hora que já não dá mais tempo
pra fingir que não existe Tempo.

A alegria caminha triste.

Hoje não é dia de falar de sapo
que não sabe
ou não pode aprender a voar.

Hoje é dia de anoitecer bem cedo
pra não lembrar
de tudo que se perdeu
desintegrou no ar.

O vento soprou forte a semente
pra depois das montanhas
E talvez nunca chegue até o Mar.

Hoje aprendi que voar é preciso
Navegar, pode ser,
Mas Viver é ainda muito mais.

Põe sentido em mim
Que Cê também vai Vê. 

Lou Albergaria



Poema do meu Livro: PESSOAS E ESQUINAS

Diálogo Poético - Colaboradores: Geraldo de Barros, Ianê Mello (poema e pintura) e Lou Albergaria

2 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

"(...)Faz bem uma janela aberta.
Uma veia aberta.

Pra mim é uma coisa que serve de nada o poema
Enquanto vida houver

Ninguém é pai de um poema sem morrer"

(Manoel de Barros)

Lilian disse...

Essa pintura me lembrou a capa de um livro de história, o mesmo contava as passagens do tempo, e hoje ele faz parte da minha passagem de tempo.

Related Posts with Thumbnails