O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 20 de julho de 2010

Esperança

Passei, por aqui,
para descansar.
Enquanto espero,
refaço a plumagem,
aguardo um vento favorável
ao meu abrir das asas,
Devo, de novo, voar!

Contemplo o céu azul,
o meu lugar.
Observo as nuvens vagarosas,
Trilhas, por entre as quais
devo passar.

A minha esperança
Está em um campo florido,
Rios límpidos e calmos,
Em que eu possa descansar.

E, então,
Espalhar o meu canto,
Descansar.
Entre flores, por onde piso,
Quero plantar todos os sorrisos,
Abrir as minhas asas
E, simplesmente, voar!
Otelice Soares

3 comentários:

Lou Albergaria disse...

Que poema lindo, Otelice!!!

Adoro quando te encontro por aqui e posso te ler. Traz muita paz à alma.

Beijos!!!!

Otelice Soares disse...

Lou, obrigada. Descobri que o caminho se faz caminhando.E é caminhando que se abre possibilidades para o encontro.Feliz por ter encontrado você, amiga.
Bjs. no coração.

Marcelino disse...

Gostei muito deste texto da Otelice, que, a partir de um tema aparentemente simples, construiu um texto bastante eficiente em sua proposta, bem delicado, bem gostosa de se ler.

Related Posts with Thumbnails