O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




segunda-feira, 19 de julho de 2010

Pedrada (do verbo Pedrar)



Ali está ela!
Sentada sobre a pedra
Na calçada.
Descalça
Sob a pedra que a consome
Consumida diariamente
Com_pulsão.

Não restará pedra sobre pedra
Para_a_nóia desse escombro
Que um dia foi castelo.

Jairo Cerqueira




" Diálogo Poético "- Colaboradores : Jairo Cerqueira

2 comentários:

Lilian disse...

o mais fascinante das poesias, é voce dar o contexto que você interpretou a elas, e não somente o que o autor quis dizer, podemos usá-las a nosso bel prazer e degustação. Essa por exemplo, drogas? loucura? paixões? abandono? eis a incognita o mistério

Ianê Mello disse...

Muito bom o poema, Jairo.
Agradeço a participação.
Bj.

Related Posts with Thumbnails