O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quinta-feira, 13 de maio de 2010

Vai se a ver estou vivo!...


Vai se a ver
Conseguiu fugir
À linha da frente.
Isolou-se.
Ficou para trás.
E perdeu a guerra.
Contaram-se os mortos.
Ergueu-se a bandeira.
Louvou-se a bravura.
Deram-se as medalhas.
E ele disse!...
Vai se a ver estou vivo!...


Bravo

2 comentários:

ღPat.ღ disse...

Excelente Bravo!
Prestigiando-te novamente.
Beijos meu amigo.

Zélia Guardiano disse...

Bravo
Seus poemas são sempre interessantes. Debaixo de uma simplicidade despretenciosa você nos apresente grandes obras!
Lindo!
Um abraço

Related Posts with Thumbnails