O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 22 de maio de 2010

Inquietude!


A criança
Atravessou
A linha do horizonte
Sem quebrar
A harmonia
Da linha recta.
À distância!
Transformou-se
Simplesmente
Num ponto.
Acenou,
Pediu socorro,
Gritou!
Mas o som!...
O som... perdeu-se no silêncio!... 



Bravo



Diálogo Poético - Colaboradores: Bravo


2 comentários:

ღPat.ღ disse...

Tuas imagens cada vez mais bonitas...
Teu poema simplesmente silencioso!
Beijos com carinho e amizade,
Pat.

Ianê Mello disse...

E no silêncio ecoou o grito de suas palavras.

Bravo!!!

Bjs

Related Posts with Thumbnails