O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 8 de janeiro de 2011

Um conde



Vem, passarinho, vem cantar a pedra
Onde escondido o meu castelo está.
Traze cinzéis e traze pergaminhos
Que meus caminhos eu já vou talhar.
Não quero ser mais um confuso aedo.
Eu quero ser um conde d'além-mar!

RODRIGO DELLA SANTINA




Vai passarinho, ele entende teu canto
Mesmo confuso, um aedo entende o pranto
das gregas cítaras de antanho, Talvez lá
haja mais natureza para seu canto expandir
Deixe  o futuro conde seu lindo canto ouvir
Sempre que voltar das longas viagens além-mar.


MIRZE SOUZA

7 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

Passarinho de assas forte, que voa muito sem se cansar.
Lindo fim de semana amiga, bjinhos.

Cria disse...

Impecável texto, parabéns ! Beijo.

Rodrigo Della Santina disse...

Muito obrigado, Valquíria e Cria! Grato pela leitura e apreciação!
Abraço,

MOISÉS POETA disse...

que imagem linda...!

beijo !

Ianê Mello disse...

Lindo diálogo, amigos.

Obrigada pela presença.

Grande beijo.

Rodrigo Della Santina disse...

Obrigado Moisés, obrigado Ianê! Fico feliz (e acredito que Mirze também) por terem, e todos os outros, gostado de meu (nosso) verso.
Bom diálogo, Mirze! está de parabéns!
Grande abraço a todos,

Mirze Souza disse...

Claro, Rodrigo!

Fiquei feliz por ter apreciado meu canto de pássaro.

Beijos

Mirze

Related Posts with Thumbnails