O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O cavaleiro — oferta


Isto porque não sou mais necessário:
Minha lança é ferrugem; meu escudo,
Papelão. Porque lá no fim de tudo
No’ há mais, Teseu, no’ há mais um Minotauro.

RODRIGO DELLA SANTINA


Ilustre cavaleiro, necessário sempre serás
Em tua lança há memória e história.
E bem próximo à ti, há os jovens que desejam
Seguir teus passos. Teus ensinamentos
entre eles, será de júbilo, e tudo que ensinares
sobre Teseu e Minotauro, verás no fim,
a representação dos teus passos e serás
eternizado, em cada luta , em cada traço.


MIRZE SOUZA

6 comentários:

Camila Lima disse...

Bela composição! Parabéns!

Rodrigo Della Santina disse...

Obrigado, minha cara Camila! E a cara Mirze também fez uma bela contribuição ao tema!
Abraço às duas,

Mgomes - Santa Cruz disse...

Adorei Porque sempre gostei das historias dos cavaleiros, alguns ate são Santos, como São Martinho, Nuno Alvares Pereira Santo Portugues alem de outros.
Abraços e beijos.
Santa Cruz

Rodrigo Della Santina disse...

Olá Mgomes! Que bom que tenha gostado destes versos! Isso me contenta muito e tenho certeza de que a Mirze também! Talvez queria ler, então, o outro poema de mesmo título publicado no dia 19, creio.
Grande abraço,

Ianê Mello disse...

Adorei o diálogo entre vocês, amigos.
Bjs aos dois.

Rodrigo Della Santina disse...

Obrigado, Ianê, fico (e creio que Mirze também) contentes com isso!
Grande abraço,

Related Posts with Thumbnails