O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Um Nada



Corpo oculto
na penumbra da noite
de tão translúcido
quase imperceptível
indiferentemente
dilacerado
a esmo
num canto
num desvão
numa ruela escura
num beco 
perdido num nada
Um corpo,
apenas um corpo
Vivo ou morto?
Como saber
se ainda respira
na dor que lhe impinge
a alma dorida.


Ianê Mello

5 comentários:

Solange disse...

lindo..
bjs.Sol

M@ria disse...

Estrela de branco,
caminhas no frio
da noite de esperanças
diante dos deuses que te admiram

Conceição Bentes

Um Feliz Natal prá voces meus amigos!
Paz & Luz em todos os corações.
Beijo-te a alma...M@ria

Ianê Mello disse...

Obrigada, Sol e Maria.
Um feliz Natal e um ano novo repleto em alegrias e realizações.

Grande beijo.

Samuel Pimenta disse...

O mais inquietante no ser humano é que, ao mesmo tempo que tem a capacidade de se sentir um nada, também tem a graça de se sentir um tudo.

Tudo de bom,

Samuel Pimenta.

Ianê Mello disse...

É verdade, Samuel.

Grata pela visita.

Feliz 2011!

Related Posts with Thumbnails