O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




segunda-feira, 25 de abril de 2011

Em Silêncio...



Sabe, já não sinto mais
o gosto amargo em minha boca
como não sinto o sal das lágrimas
que escorriam do meu rosto
Já não há lágrimas...
Dentro, apenas dentro
há sempre um vulcão pronto
para explodir, mas não...
tudo o que sinto é o peito
a queimar em lavas...
inevitável implosão
Dentro, apenas dentro
me sinto viva
ou o que de mim ainda resta
do que fui um dia
num passado
que hoje é apenas névoa
na escuridão
Deveria dizer palavras amenas,
palavras de encantamento,
palavras de esperança
Me desculpem, não agora...
minha alma dentro apenas chora
um choro contido e em silêncio
...........

Apenas peço que respeitem
minha dor...


Ianê Mello


6 comentários:

valquiria calado disse...

Com todo meu respeito deixo meu abraço.

Otelice disse...

Respeitando a dor, contemplando os versos, exaltando a obra,
perebo: as palavras afloram.
As palavras afloram para nos falar poesia, que ora sorri, ora chora: ora lamenta, suplica, implora, ora ofereça, doa, embala-nos.
Parabéns, amiga! Belos versos.

ONG ALERTA disse...

As palavras saem do coraçáo, beijo Lisette.

Lídia Borges disse...

Há momentos em que todas as forças da Natureza nos parecem contrárias, mas como na Natureza também em nós a cada tempestade sucede a bonança. Saibamos nós esperar.

Um beijo

gaviota disse...

ya no quedan silencios donde pacer en elñ arullo del viento, ni lagrimas ni lamentos me encanto tu poema besitos gaviota en vuelo.

Ianê Mello disse...

Obrigada à todos pelo carinho da presença.

Beijos.

Related Posts with Thumbnails