O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 19 de abril de 2011

Pó de Poesia


Poeira
Poesia
Palavras na poeira
Poesia em palavras
Palavras em pó

P
O
E
S
I
A

Palavras no vento
Palavras ao relento
Palavras... palavras...


Ianê Mello

5 comentários:

Lou Albergaria disse...

Belíssimos poemas, Ianê!

Linda inspiração!

Beijos!!!!

Marta disse...

Palavras que nunca serão pobres...
Porque são ditas e escritas no coração....

Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Paulo Laurindo disse...

É tudo que somos, Ianê!

Catia Bosso disse...

Quando vi este Pó de Poesia, não resisti e voltei...
Poesia escancarada
Poesia elaborada
Poesia amada....

Tu expressa no lápis a alma do poeta mesmo!!!
bj.

Ianê Mello disse...

Obrigada à todas.
Grande beijo.

Related Posts with Thumbnails