O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quarta-feira, 16 de junho de 2010

DESAFIO POÉTICO: UMA IMAGEM A SER INCORPORADA

O que essa tela lhe inspira? Provoca ou instiga...

Proposto por Lou Albergaria


Tela Vladimir Kush





Numa noite Vazia



Nossas vestes penduradas
Arrumadas com cautela
Como se dentro delas
estivessem nossos próprios corpos
Vestidos assim, distintamente
Preservávamos nossa dignidade,
nossas máscaras, nosso adornos
E nós éramos apenas
homem e mulher
Sem identidade
Sem nomes
Sem compromissos
Nossos corpos apenas
se insinuavam nus
numa cama qualquer
de qualquer quarto de hotel
Um homem e uma mulher
na satisfação de seus desejos
inconfessos, proibidos
Dois anônimos
na busca do prazer, do desfrute
Por algumas horas, talvez
Sem promessas, sem elos, sem amor
Apenas sexo, luxúria e gozo
E nossas vestes ali, intactas
Somente à espera de nossos corpos
Depois de saciados
Apenas um pouco de prazer
Numa noite fria...


Ianê Mello



Quatro Paredes


Tenho teu corpo... Tuas mãos... Tua vida...
Curtimos, nus, o sorriso do amor;
Entre beijos de quero-quero vida
Curvo-me diante do teu esplendor!...

No apartamento estava nossa vida;
Com tua luz, não vi o tempo, minha flor,
Mas as paredes viram nossa vida;
Havia felicidade... nudez... cor...

No tempo, era uma viagem sem ciladas.
Gritei: - Só quero teu sexo e mais nada!...
Sorvi tua paz com sorriso menino.

Uma fonte de luz caía ao redor,
Era o teu corpo com o brilho Maior;
Embriaguei-me no teu cheiro Divino!...


Machado de Carlos


Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T2209160


 
NUS DE NÓS MESMOS


ESTAMOS HOJE NUS
SEM NOSSO MELHOR TRAJE
QUE NOS ESCONDE
A PELE
EMOLDURA NOSSAS MÁSCARAS
ATÉ A ALMA NOS CONSOME
NESSA VIAGEM NO TEMPO
DO ESQUECIMENTO
SEM CHAVE
A NOS ABRIR POR DENTRO
REVELARMO-NOS
A VERDADE.
NÃO EXISTE HOJE TEMPO
A HISTÓRIA FOI LEVADA PELO VENTO.
TALVEZ SEJAM SÓ AS ALMAS
DUAS CRIANÇAS LEVADAS
A BRINCAR
SOBRE A AREIA
À BEIRA DO LAGO
TENTANDO SE LEMBRAR
DO QUE NUNCA FORAM
E ONDE JAMAIS ESTAVAM.


Lou Albergaria


Diálogo Poéticos - Colaboradores: Lou Albergaria(desafio e ilustração), Ianê Mello( Numa noite Vazia), Machado de Carlos (Soneto),

Lou Albergaria

.

11 comentários:

HM disse...

O diálogo impossível, o formal, o aparente.

Abraço!

Angel in the dark disse...

Duas imagens vazias,
Duas vestes que se completam,
Dois trajes opostos,
Esperam por retornar à vida!

Lindos poemas expressos pela imagem!

Beijo
Angel

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

O quadro me sugeriu justamente o que o poema diz. Estamos antenados. Um abraço. Parabéns.

Ianê Mello disse...

Mais que belo. Uma declaração de amor. Parabéns, amigo. Bjs.

Ianê Mello disse...

Obrigada à todos pelo cometário.

Bjs.

Ana Tapadas disse...

Muito bons os dois poemas!
Beijo

Maria Carolina S, disse...

o quadro sugere o vazio do não existir
afinal o que importa é viver... e fazer o que o momento, mesmo que asem sentimento, instiga.

Lindo poema!!
BJjjs

Marcelino disse...

Achei que os três poeta dialogaram muito bem. A retomada de palavras como Corpos, nus(nudez) e trajes exemplifica o dito.

José Sousa disse...

Muito bom estas suas postagens. vou continuar a vir aqui. Vá até aos meus e comente em tudo o que achar de interesse. Mas em: www.queriaserselvagem.blogspot.com comente já no mes de Fevereiro o artigo "A minha luta".
E pesquise e comente, tambem em: www.congulolundo.blogspot.com

Um grande abraço

Cria disse...

Belíssimo, parabéns pela inspiração ! Beijo.

Ianê Mello disse...

Simplesmente brilhante as poesias dos colegas e grata pelas visitas e comentários.

Bjs

Related Posts with Thumbnails