O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 16 de agosto de 2011

SEGURA-ME



Segura-me

Em tuas mãos eu me entrego
anjo belo
salva-me da devassidão que me furam as palavras
...
sou tua
leva-me embora
para teu reino de gloria
da setima Dinastia
circulo fechado
lugar da provincia azul
onde tem lugar para meu cantar.

Giselle Serejo, in sonhos, 2011


4 comentários:

Amor feito Poesia disse...

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...

Cecília Meireles

Beijos poéticos......M@ria

Isamar disse...

Um bonito poema num blogue que visito pela primeira vez. Gosto muito de poesia, da magia que das suas palavras dimana e fiquei encantada com o que li.

Bem-haja!

Abraço fraterno

Edu Lazaro disse...

Passando por aqui, agradado pelas poesias e pelo bom clima que seu blog tem... Abraços!

Ianê Mello disse...

Obrigada pela presença e adesão dos novos amigos.
Bjs.

Related Posts with Thumbnails