O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 13 de agosto de 2011

SÁBADO POÉTICO 9 (13.08.2011) - Facebook - Livre criar é só criar


O TEATRO GREGO


O teatro foi uma das mais ricas formas de arte. A representação teatral se originou e se desenvolveu à partir das Dionisíacas festas em honra ao Deus Dionísio, que incluiu o espetáculo de mímica, dança, música, poesia, etc.. 


                                           


O Teatro Grego - Escola de Aristóteles


A encenação das peças era feita exclusivamente por atores masculinos que usavam máscaras e representavam também personagens femininos, que deram origem às grandes obras do teatro ateniense.  No período clássico, o teatro tornou-se uma manifestação artística independente, embora os principais temas permanecessem ligados à religião e à mitologia. Os dois gêneros básicos do drama teatral foram a tragédia e a comédia. 

  
                            
















Nosso sábado Poético desse sábado terá como inspiração o Teatro Grego.





LINDA RAINHA FADA AMANTE DEUSA GREGA

Reluzem ao sol de Atenas
A deusa grega sem braços e nós
Ela pedra lisa, em carpintaria algo teatral
Zombando de seres humanos mal nascidos
Como nós, cansados de castelos de areia
Mentiras sociais das quais somos escravos
Enquanto um mestre qualquer da paleta italiana
Traduz a deusa sem braços em rude generosidade
Em tinta que lhe dá rosto e seios angelicais
A calma e a volupia nos lugares certos
Reivindicações de predicados clássicos
Nos prazos do que lhe falta vir reclamar
Insegura técnica dos obreiros do tempo
Quais pétalas decepadas às rosas
Enquanto a deusa grega sem braços
Nos deixa desapontados por estar proíbida
De poder nos acenar ocasionalmente
Um bem-vindo, um chega mais, ou um adeus.

Beto Palaio




O TEATRO DIONISÍACO


Em homenagem ao deus Dionísio
na Grécia o teatro se criou
e das mais ricas formas de arte
ele assim de fato se tornou


Os atores, sempre homens
com máscaras no rosto encenavam 
da tragédia a comédia faziam
e papéis femininos desempenhavam


Os atenienses vibravam
com dança, música e poesia
em apresentações glamurosas
onde os deuses eram honrados.


Ianê Mello




ORAÇÃO AOS DEUSES


Afrodite, venha com seu encanto
ensinar-nos o amor dos deuses
nesta festa dionisíaca
em que os sentidos aguçados
em cálices de vinho
ofertam doces delírios.


Apolo com seu brilho
ilumine os caminhos obscurecidos
para que não nos percamos
no reino subterrâneo de Hades
sendo de lá prisioneiros.


Zeus, deus supremo, pai criador
proteja-nos com seu poder
das intempéries da natureza
que Deméter nos trará frutos
alimentando nossos corpos.


Grande deusa Atena
dai-nos a sabedoria de vida
Para que não nos deixemos levar
pelos doces sonhos de Hermes
sendo prudentes e justos.


Ó deuses, vós que sois imortais
tende piedade de nós humanos!


Ianê Mello






Theologuêion ( lugar onde os deuses falam )

Tribuna armada
sobe a Escada de Caronte trazendo do mundo subterrâneo
a máscara patética da dor
Ésquilo foi seu criador!
Ela endemoniada
rodopia na tribuna
canta, dança e cai no chão
seus olhos estão saltados
A adivinha contracena com a multidão
Esquizofrênica máscara pintada!
silêncio na platéia..........
aproveitaram a encenação
catarse foi atingida
se desfez o sofrimento na ação.

Giselle Serejo




tua máscara
mistério escondido
deusas e deuses
vestem fantasias
revelam-se!

Ydeo Yoga




Medéia

Mulher movida a paixão
a força, a ambição
por algum tempo foi casada 
com o homem que ela amava
seu nome era Jasão
Por este amor ela matou
até mesmo seu irmão,
usou de magia
deu-lhe o velo de ouro
venceu... 
teve filhos com Jasão
Mas Creonte
com intrigas 
a afastou do seu amor
a Jasão foi dada a filha de Creonte
Creúsa, 
mas Medéia por magia
a matou
e na fuga
perdeu seus filhos 
apedrejados pela população...
outra versão diz que Medéia
matou os próprios filhos
numa vingança enlouquecida
da traição de Jasão.

( Medéia, escrito por Eurípides um dos teatrólogos grego 
da época) 

Colaboração de Enice de Faria





Máscaras

...quem sou eu por trás desta máscara?
posso ser você
posso ser o outro
...sou o outro
perco minha identidade
...me perco
me encontro em você
Está triste?
...eu choro
está feliz?
...eu sorrio
não me identifico
te represento no teatro da vida
...me escondo 
e te mostro
Teatral

Enice de Faria





Fantasia 
A fantasia que te veste,
só a mim cabe tirar,
eu a teci em ouro e sedas,
mas outros não a enxergam...
Não sei se estás confortável,
nem sei se a percebeste,
tão leve a fiz para ti...
Não posso tirá-la sem dor,
não em ti,mas dor em mim,
nas artimanhas do amor...

Maria de Fátima Monteiro




VIDA DO TEATRO GREGO OU GREGO TEATRO DA VIDA?

Uma vida atrás das máscaras
homenagens à deuses e não deuses
e, também, homenagem à vida...
às tragédias e comédias da vida.

Uma vida que anda pelas ruas em "côro"
Mostrando a realidade escondida em versos
- teatro grego-
Uma vida que fala as verdades sem embaraço
- grego teatro da vida - 
Na verdade... 
Encanto grego do teatro...

Este (ou aquele) que une em harmonia,
homens, deuses, vida e tragédia
Para transformar em comédia
a vida privada e não privada.
Aquela vida que precisa 
urgenteMente de um fardo 
Mais leve, mais límpido, mais emocionante...

Tudo isso e isso tudo
Parte do grego
da vida grega do teatro?

(#ilusões... Confusas... mas ilusões!)

Vanessa Vieira




Canto da Imprudência

A cera é do mel da abelha,
A pena é da gaivota do mar,
Fugiremos da grade pelo ar,
Perto o sol, cuida-te: centelha.

Neto de Alcipes, filho de Ares,
Descendência direta de Zeus.
Mas creia em pagãos e ateus.
O Sol é rei sob todos os mares.

Ícaro não suba mais as escadas,
Sou seu pai e sei o que lhe digo,
Sempre tem o ponto sem partida,
Água! Ouvi barulho de suas asas.

Eduardo Ribeiro




Helena de Tróia

Helena
Rainha de Esparta
Filha de Zeus com Leda
Linda,formosa
Perigosa
Por Páris seduzida
Por Tróia acolhida
Mas foram te buscar
Se lançaram ao mar
Menalau traído
Agamenon e sua ambição
Ulisses e seus ardis
Aquiles que só amava Aquiles
Impulsionados pelos deuses 
E seus interesses
Resgataram-te a custa de sangue
Vidas ceifaram
Sorte tua que existiu Homero
Para cantar-te em versos

Jeferson Luis





Imortal Esperança

Grécia berço de amores
mitos,deuses 
e semideuses
comédias vividas
tragédias sentidas
Dionísicas festas
Dom de todos os deuses
Bela herança ainda viva
em guerras de eternidade
em ti tantas maldades
foram encenadas
ou foram de verdade
máscaras,marcas
guardadas memórias
restos de histórias
o Olimpo fechado
na caixa de Pandora
e se hoje ainda 
houver esperança 
que ela venha
sem demora

Adriane Lima




Os deuses invejam
a nossa mortalidade
porque nada pode ser
tão intenso
quanto agora,
nada pode ser tão belo
nesse instante...
Porque o eterno
para nós
é etéreo
E o agora
pode não ser tão distante.
Somos filhos de Eros, 
ser tão completo e forte
que Zeus o dividiu ao meio
tentando ferí-lo de morte.
Separado, jamais se encontrando
fez de nós seu legado
e nos faz desejar 
encontrar nossa metade
num delírio de amor e sorte.

Izabel Tayza Rincoski




Sobe o pano
entram as máscaras
só_risos e lágrimas
desce o pano
tudo é cru e cego
desalento engano
the show is over...

Joe Canônico




Arte da cultura grega
Tempestade de sabedoria e justiça
Espírito helênico, berço de Zeus
Ninfa da Grécia Antiga
Atenas o mundo do teatro grego.

Jana Valentina




Drama litúrgico (Teatro Grego)

Bem vindo do Egito Antigo e faraós,
China, Índia, Creta à mitologia Grega
Fantasmas amedrontados 
Mascarados e crus
Retrato desformes do homem quase humano
Estagnados a religiosidade criativa dos deuses
Comedias de uns 
Tragédias de outros
Sem seus deuses, não existes
Sem seus deuses, não sentis
Sem seus deuses, choras
Como os cretenses e egípcios
Sucedeu-se mitologicamente 
Ao sol e a lua atuam, semideuses
Cobrem-te as hórridas faces
Com arte pasmosa e gregoriana
No anfiteatro da vida
Sorrias e Lacrimejas...

Leila Onofre 





a Helenas

Fado mal contado

Helenas e Mulheres
nos cais e adegas de Tróia
todos pisoteados,
somos soldados de Eros
cavalos 
marchando 
     em busca do impossível possível
um amor
uma verdade sem fronteiras…

Carmen Silvia Presotto – Vidráguas






5 comentários:

Ianê Mello disse...

Parabenizo a todos que participaram de mais esse evento do Sábado Poético no Livre Criar é Só Criar com seus belíssimos poemas. A qualidade dos escritos me impressionou e a participação superou em número minhas expectativas.
Muito obrigada e continuemos a trilhar esse caminho juntos em nome da poesia.

Grande beijo.

Lua Nova disse...

Um sábado pleno de informação, poesia e beleza. Obrigada por esse momento. Parabéns a todos os participantes.
Beijokas.

Marcelino disse...

Belíssimo esse Canto da Imprudência de Eduardo Ribeiro. O poeta foi muito preciso na escolha de seu dito e em doze versos contou todo um mito. Parabéns.

Evanir disse...

Que bom estar aqui no seu blog!!!
Que bom poder contar com sua amizade!!
Que bom saber que além da presença
de Deus na minha vida .
Tenho amizades fiel como a sua que me da força
e alegria de poder contar sempre com você.
Ter sua amizade é muito importante para mim ,,
porém tenho que fazer por mercer,,
e acima de tudo ser digna da sua amizade.
Que Deus cubra de benção seu Dia.
Siga com Fé, e Deus abrirá portas
onde antes só haviam paredes
A chava da felicidade esta dentro
De nós mesmos.
Abra seu coração e seja faliz.
É preciso ter força,coragem e sonho sempre.
Eu tenho a estranha mania de ter fé na vida.
Beijos no seu coração,,Evanir,,

Ianê Mello disse...

Obrigada a todos pela presença e comentários.
Voltem sempre. Bjs.

Related Posts with Thumbnails