O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Não há tempo




Não há tempo para dores inexpressivas
Não há tempo para canções altruístas
Não há tempo, nem espaço, para ideias a vapor
Não há tempo para rimas espelhadas
Acentos sonorosos linhas rejuvenescidas
Não há tempo para cortes educados nem cortes anarquistas
Não há tempo para sons geométricos perfeitos que não sejam
          [provenientes da íntima significação do verbo ser.

(O tempo é para mãos fortes
Talhadas no asfalto
Nos girassóis da ciência nos odores da tecnologia
No trono do Universo
O tempo é para olhos velhos de simplicidade
Para almas cândidas de versos).

Não há tempo para dores obscuras.
Há tempo para o Homem primitivo, no sentido mais original da
                                                                                                       [palavra.

RODRIGO DELLA SANTINA

4 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

E não há tempo para lamentações nem para euforia, pois novas batalhas batem à porta. Parabéns!!!

Ailime disse...

Lindo!
Não há tempo neste tempo precioso que se nos escapa.
Vamos aproveitá-lo da forma mais transparente e pacífica possível.
Um beijinho.

Luna disse...

deveria simplesmente haver tempo para escutar os acordes do coração, bem mais fácil seria viver
beijos

Toninhobira disse...

Tempo para quem não pensa em perder tempo com coisas pequenas e faz de cada dia um processo de revolução.
Belo texto.
Meu abraço.

Related Posts with Thumbnails