O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Diálogo Poético : Ianê Mello e Beto Palaio



PRAZER SOLITÁRIO


Em meio à espuma e risos de sabonete
eis a aprendiz de sereia distraída
nas travessuras do banho submissa
bela oferenda em curvas tentadoras

Na água que escorre em seu corpo desnudo
em suaves carícias a deslizar promessas
a fluir em sentidos despertos brandamente
mulher que se descobre e se desvela

Breves anotações de pingos
fugas delicadas na pele nua
plenitude de astros misteriosos
relâmpagos na carne traslúcida

A oferta do amor em solidão
escorre a água em comunhão
seu corpo arde sob a ducha
em completa entrega ao prazer

O gozo se anuncia num breve espasmo
no corpo que se contrai ao desejo latente
enquanto a água flui morna e indiferente
aos seus desejos plenamente saciados


IANÊ MELLO E BETO PALAIO

(14.09.12)

 *
Pintura de Niceas Romeo Zanchett

3 comentários:

Stein Haeger disse...

E então surge a fêmea!
A que passeia nos meus devaneios másculos! Com alma, carne e orifícios em oferta! Promessas de permissão pra desbravamentos territoriais, nos caminhos menos visitados...

Toninhobira disse...

Bela inspiração com intensidade, sensualidade.Linda ilustração Ianê.
Parabens pela construção.
Bela semana.
Meu terno abraço.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Related Posts with Thumbnails