O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 7 de agosto de 2012

Dialogo Poético : Ianê Mello e Paulo Ras




SIMETRIA AMOROSA


Onde eu começo e você termina?
você e eu
que somos um

corpos mesclados, fundidos
num só corpo que se alimenta
da suave delicadeza do amor

meu rosto, seu rosto
geminados num único olhar
perdidos em nossos olhos

meus braços, seus braços
extensão dos seus
na grandeza de nossos gestos

sua boca, minha boca
no prolongamento de um beijo
desdobrado em paixão

suas pernas, minhas pernas
entrelaçadas no deleite
de se dar sem limites

suas mãos, minhas mãos
no toque de nossos corpos
perdidas em nós

Onde eu começo e você termina?


Ianê Mello


IMPRESSÃO BEIJOQUEIRA  2


A tua língua
A minha boca.
Ou a tua boca e
A minha língua?
Tudo tão entrelaçado.
Tudo tão promíscuo em nossos corpos.
Tudo tão perdido em nossas vidas.
Tão emaranhado.
Tão confuso.
Tão uno que ao menos sabemos
De quem é a língua.
De quem é a boca.




*
Pintura de 
Yarek GODFREY

2 comentários:

Paulo Ras disse...

Muito bom esse diálogo.. obrigado por eu fazer parte dele

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
A cumplicidade gera uma unicidade inexplicável...
Não se sabe distinguir um coração do outro... eles se complementam...
Deus te cubra de bênçãos e te faça feliz!!!
Bjs festivos de paz

Related Posts with Thumbnails