O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Dialogo Poético : Beto Palaio e Ianê Mello




SE NÃO POSSO MAIS CANTAR

Se não posso mais cantar
de que vale o céu azul
e o sol sempre a brilhar?
de que serve o pulsar do coração
e as noites de ameno luar?

Se não posso mais cantar
de que vale esse olhar infindo
e as mãos soltas no ar?
de que serve o intenso sentir
e as estrelas a cintilar?

Se não posso mais cantar
de que vale as conchas vidradas
e o mar viveiro de vagas?
de que vale os sonhos de verão
nos compassos da melodia que se apaga?

Se não posso mais cantar
de que vale o sorriso perdido
e a onda a beijar meus pés?
de que vale a primavera
em flores despetaladas ao chão?

Se não posso mais cantar
de que vale a canção no jogral dos rios
e o assoviar das areias nas dunas?
de que vale as doces horas
da rosa que se abre em pétalas?
de que vale o rio sem mar
se eu não posso mais cantar?


BETO PALAIO E IANÊ MELLO

*
  Pintura de Felix Mas

Um comentário:

Poetisa da Paz disse...

Lindo versejar! Adorei o blog! vou te seguir!Abçs1

Related Posts with Thumbnails