O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 11 de agosto de 2012

Diálogo Poético : Flavcast, Paula Amaro e Ianê Mello




Os poemas do beco

Existe um poema perdido
no beco
Acuado 
Como angustia presa
ao peito
Vencido feito amor
Bandido

Sempre há poemas escritos
no beco
Esquecidos
Deixados pairados no ar
Enamorados
Soltos sussurros
E beijos

Há poemas que moram
no beco
Enraizados
Sabedores dos seus limites
Segredos
Poemas de amor
Não entregues.

(FlaVcast – 10.08.2012)



Poema de beco,
poema vadio
sem tino, sem berço,
à chuva e ao frio.
Poema nosso
feito vagabundo
às vezes, gentil moço...
Poema do Mundo.

Paula Amaro


POEMA VADIO


Poema de amor
amor comedido
amor não confesso
amor escondido
...
nas entrelinhas
...

poema cativo
sem eira, nem beira
poema transverso
enredado em sentires

...

poema passarinho
solto no ar
a voejar no vento
liberto

...

poema perdido
no beijo não dado
no olhar desviado
no sentir que não se mostra
...

Ah... poema vadio
me mostra seu rosto
me envolve em versos
me cobre de palavras
me preenche de sentires
me toma inteira!

Poema em mim...
me faz amor

Poema vadio...
me faz amar.


Ianê Mello

 
Pintura de Johnny Palacios Hidalgo




Um comentário:

Toninhobira disse...

Uma maravilhosa postagem com inspirações aceleradas para o poema.Lindo trabalho.
Parabens a todos.
Um terno abraço Ianê.
Bom fim de semana.
Bjo.

Related Posts with Thumbnails