O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Saudade, saudade...



Saudades da minha casa,
Saudades do meu Amor;
Do gosto das acerolas,
Do charme do beija-flor...

Saudades do meu sossego;
Dos livros na minha estante;
Das horas de verso e prosa,
Das páginas marulhantes.

Saudades do meu café,
Da varanda onde me sento,
Do canto das avezinhas
E do cavalgar do tempo...

Saudades até da chuva
E do vento que lá há;
Pois aqui o vento não venta
Como venta o vento lá.

Ah saudades!...

Saudades da minha casa,
Saudades do meu Amor!
Do gosto das acerolas,
Do charme do beija-flor!

RODRIGO DELLA SANTINA

2 comentários:

Edna Lima disse...

Bom sentir saudades.
Já que só se sente saudades de coisas boas.
Bom dia. Bjs. Edna.

Rodrigo disse...

Obrigado, Edna, pela visita e pela apreciação!
Grande abraço,

Related Posts with Thumbnails