O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Diálogo Poético - Carmen Silvia Presotto e Ianê Mello






Sujo a mão no tempo
e juntos seguimos 
completando vazios 

juntos somos, 
dias a mais poesia



compondo sentires
nossas vozes contidas
em silêncios vazios
se façam ouvir
em madrugadas insones


em versos
que conversam.



Carmen Silvia Presotto e Ianê Mello




Um comentário:

Arthus K. F. Höelz disse...

Muito bom, muito profundo. Afinal, não parece haver nada tão inquietante quanto o tempo. Deve ser por isso que Nietzsche era tão obsecado pela eternidade... Abraço.

Related Posts with Thumbnails