O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




domingo, 4 de dezembro de 2011

A pomba


Por cima do telhado para além do muro voa a pomba.
Quando retorna traz no bico um galho.
Pousa no varal das roupas alcança o interior da árvore.

Repete o movimento ininterruptamente.
Não sente-se cansada: o galho no bico
É a sua mais justa recompensa.

RODRIGO DELLA SANTINA

4 comentários:

Alê disse...

Já utilizei essa imagem,


Considero-a maravilhosa,



Bjkas

Ianê Mello disse...

Belíssimo poema, amigo!
Em poucas palavras, toda a intensidade da emoção.
Bom vê
-lo aqui e poder ler seus belos poemas. Volte sempre. Bjs.

Rodrigo disse...

Obrigado, Alê e Ianê!
Suas visitas e pelavras...
Fico contente com isso!
Grande abraço!

Imagem e Poesia disse...

Um espaço especial, onde podemos nos deliciar com suas belezas aqui postadas.
Obrigada, meu bom amigo.

Beijinhos

Related Posts with Thumbnails