O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 24 de setembro de 2011

Livre Criar é só criar - PROJETO REVIGORAR (20.09 e 27.09.11) - MANUEL BANDEIRA





Contigo ia até a Lua
lá seríamos o que quiséssemos
árvores, sementes, minerais, papel, fidalgos
Do rei eu queria ser só amiguinha
mas do príncipe ia ser a Rainha

Ah Manoel..as horas são tão apressadas..
são rôtas..
me esperas?
Finges que não me esperas
assim vamos para quimera legalmente

Mas faço um esforço
diga para o rei de lá
que sem livros não poderemos respirar
viver, amar...

Ele aceitando
viveremos para sempre pasargando
passarinhando
e namorando..eu o príncipe , os livros e você?
deixa os sapos falarem..ora ora...

Giselle Serejo




Se a gente ama 
Pasárgada está tão perto
Está tão dentro

Rente ao sonho de Menina

As tranças que vêm vindo
Trazendo à galope 
O beijo na noite
A história sem açoite

A vida, um novelo de esperança

Eu puxo o fio dói a trança na folha
A menina me sorri, apesar da dor
Me pisca o olho, e
Eu acolho a minha sina

Somos poeta, Menina!

Venha, e me dá um abraço
Puxe uma estrela 
Vamos brindar Pasárgada

O recomeço está na estrada

A poesia é a passagem, e
A Menina..., o sol que ilumina o verso

Lou Albergaria


AMOR SIDERAL...

Mesmo que o meu estro fosse de outra galáxia,
Fosse das Plêiades, de Órion, de Sírus, de Capela,
E fizesse vibrar minha lira e com isso eu tecesse
Os mais encantadores ou adoráveis versos, 
Isso de nada adiantaria, pois eles rodopiariam
Em torno da frase de sempre: EU TE AMO!!!


Pedro Campos




UM AGITADO MANUEL

um homem de olhar atento,
embora meio míope
mãos pequenas e inquietas.
Bastante inquietas.
pois é com gestos, bem mais
que com o lápis
que se escreve um poema
modernista.


Beto Palaio




Busquei tanto a estrela da manhã
que minha visão cansada turvou-se 
não pude mais ver as estrelas
que belas na noite cintilavam


Busquei encontrar o amor
onde amor não havia
e não pude perceber
o quão perto de mim estava


Aprendi que para viver o amor
basta dois e nada mais
em Pasárgada ou aqui
ou em qualquer outro lugar


Na figura de um poeta
que era eterno sonhador
encontrei palavras certas
para o amor desvendar


Grande inventor de palavras
com mãos ágeis  desenhava versos
e com olhos miúdos buscava
em sua amada o universo


Ianê Mello






O crítico

Escrevo um poema liberto
Livre da métrica e outras estéticas
Que permita expressar
A Vida ao meu redor

Que agite em mil bandeiras
O que de fato, a realidade
Mesclada de trabalho e suor
Inspira.

Uma poesia moderna
Que de forma delicada e sincera
Permita homenagear
O poeta,o professor,o tradutor

Que da palavra, da rima
Despida de fantasioso lirismo
Fez do mais simples, do mais humilde
Seu tema, seu lema mais representativo.


Giane Coruja

Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

O poeta do castelo
vê o beco, a Glória, a baía,
a linha do horizonte.

O poeta do castelo
vê a Rua da Aurora
a Rua da União
a Rua do Sol
as ruas da sua infância.

O poeta do castelo
vê a Rua da Saudade.

Related Posts with Thumbnails