O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Diálogo Poético: Vanessa Vieira e Ianê Mello


FALTA DE AR

O ar que necessito
Vem da fuga
Que é meu esconderijo.
Vou e venho de lá
Como os galhos das árvores
Que balançam ao movimento
Do vento...
Sou o que sou...
E não consigo,
Não posso
Por enquanto
Ser diferente...
A falta de ar
Silencia-me a voz...
Cala-me
Faz-me nada
Porque sem voz
Nada sou...
Nada faço...
Nada...

Vanessa Vieira


PONTO DE FUGA


Há o momento da fuga
há o momento do encontro
Há o momento do silêncio
há o momento da fala
Há o momento de esconder-se
há o momento de expor-se
Encontrar o momento certo
é encontrar o equilíbrio na ação
Fugir agora pode ser preciso
e quem pode julgar?
Fugir às vezes esconde
a imensa vontade de ficar


Ianê Mello


Crédito de Imagem: 
Pintura de Rene Magritte

3 comentários:

Vanessa Vieira disse...

Olá Moça. Obrigada por compartilhar aqui nosso diálogo... Beijo no coração!!!

Carol Morais disse...

Es e nos falta esse ar, não consigos mais fugir. Falta-nos força para correr e falta-nos ar para respirar dentro de uma caixinha que nos protege do mundo.
Belíssimo diálogo!
Um beijao grande!

Rosi Alves... disse...

Eita eu ameiiii

Related Posts with Thumbnails