O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sábado, 14 de janeiro de 2012

Diálogo Poético - Dija Darkdija, Ianê Mello e Joaquim Vale Cruz



Os sussurradores 


aos essessussurradosentrelinhas

...somossussurrosnóssomossempreseremos...

...somosasbestasquaissussurrampeloscantos...
...somossussurrosdasalegriasouprantos...
...somosostantosssussurradosnasorelhas...
...somossopradossomosdeusesdosencantos...
...somososessessussurradoscomosmantos...
...somososmantrasrecitadospelossantos...
...somosostudosnadassomossensitivos...
...somosssussurrossimplesmentesincisivos...
...somossussurrossacrossantossobreaslinhas...
...somosassombrossombrassombradosdestinos...
...somossurrossempremaisdospensamentos...
...somosussurrossempresomossemlamentos...

...somossussurrosnóssomossempreseremos...


Dija Darkdija

***A Arte da Viajosidade 


SERES ANTAGÔNICOS


Somos sussurros
que ao pé do ouvido se instala
Somos o próprio grito
quando o mundo não se cala

Sussurramos pelos cantos
mas gritamos desencantos
quando a dor nos aperta
e o sentir se avoluma

Somos o tudo que no nada se perde
somos o nada que no tudo está perdido
Somos a palavra que nas entrelinhas se cala
Somos em nós as entrelinhas que da vida se resguarda

Somos o verbo e o silêncio
somos os versos e a prosa
Somos o conto que encanta
Somos a história que lamenta

Somos sombra quando projetados
pelo sol na clara tela
Somos reflexo no espelho
somos a nossa própria imagem refletida

Somos alegria e lamento
somos esse agora, esse momento
somos o passado que nos devora
somos o amanhã que se revela


Somos tudo
nada sendo.


Ianê Mello

***Crédito de Imagem: Pintura de Salvador Dali "
Desmaterialização"




Sussurros
Há quem diga que sussurros todos somos
Sussurros do vento em seu lamento
Do nada que nós somos, sofrimento
E mesmo se em bicos dos pés nos pomos
Ainda assim, nós nada somos

Perante um universo tão diverso
Tão imenso em que estamos dispersos
Um mero sussurro nosso, não vale nada
Como nada vale uma palavra
Destas que nós pomos nestes versos

É estultícia, é loucura, é desencanto
O sussurro que aqui ponho neste canto
Pois neste sussurro que agora nem é pranto
Deixo a marca de um sussurro que em mim ficou
Por sentir que neste mundo, nada sou…

Joaquim Vale Cruz

2 comentários:

Vale Cruz disse...

Querida Ianê, que lindo esse sussurrar, por isso, aqui deixo o meu:

Sussurros
Há quem diga que sussurros todos somos
Sussurros do vento em seu lamento
Do nada que nós somos, sofrimento
E mesmo se em bicos dos pés nos pomos
Ainda assim, nós nada somos

Perante um universo tão diverso
Tão imenso em que estamos dispersos
Um mero sussurro nosso, não vale nada
Como nada vale uma palavra
Destas que nós pomos nestes versos

É estultícia, é loucura, é desencanto
O sussurro que aqui ponho neste canto
Pois neste sussurro que agora nem é pranto
Deixo a marca de um sussurro que em mim ficou
Por sentir que neste mundo, nada sou…

JVC – Fb - 2012-01-15

Iane Rubens de Mello disse...

Olá, amigo Joaquim, estou muito feliz em receber aqui seu poema em diálogo com os nossos, do Dija e meu.

Beijinhos.
Namastê!!!

Related Posts with Thumbnails