O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Diálogo Poético: Ianê Mello, Andrea Lizarb, Leila Onofre





O PREÇO DA TRAIÇÃO


Derrama-se o cálice de vinho tinto
rascante
na veste branca e alva
de vermelho escarlate tingida

na nódoa viva e visível
a marca da punhalada
traiçoeira

desferida por mãos
infames

punhal de aço
cortante

na pele alva e branca
ferida aberta
sangra

larva que queima
erupção vulcânica



Ianê Mello


*Pintura de Lamis Dachwali.


TRAIÇÃO


Era mimo precioso
Um diamante lapidado
Fez com ele corte doloso

Sangra o gosto machucado
A luz límpida ficou escura
Quadro negro d’amargura

Traição, sofrer esmigalhado
Árduas cenas, arrogância
Estilhaçou, marcou distância






Vinho robusto se mostra potente
Invade-me com goles generosos
Sinto seu calor cativante na noite
Cá dentro trazendo o frio do dia
Com sua força frutífera passageira
Embriago-me no seu leito iludido
De conforto, de amparo, de alegria
....





Leila Onofre

2 comentários:

Edna Lima disse...

Como tudo tem um preço..
Traição também.
Lindo. Boa tarde.
Beijos. Edna

MIRZE disse...

Belo demais.

A mídia oferece a traição como normal, esquecendo o que se passa no traído, como declama Ianê no poema.

Beijos

Mirze

Related Posts with Thumbnails