O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




domingo, 22 de julho de 2012

Diálogo poético: Luis Lima e Ianê Mello




“””””””
Estaria
um lençol lamentado
a cuidar -te
em corpo a corpo

como seria também
colado ali
ao teu lado
tal lençol
amarfanhado
batido de amor, meio morto

“””””””
“”””(luis/lima)



(... canto de bolso... foto windows...)


SOB O LENÇOL


O lençol que teu corpo cobre
em pureza se revela
em branca alvura
da carne por ele revestida

...

em algodoados sentires
teu corpo repousa plácido
na memória adormecida
de noites de amor mal dormidas


Ianê Mello


2 comentários:

Lua Nova disse...

Ianê... vc é a parceira que qualquer poeta teria prazer em ter... um deleite acompanhar tuas "parcerias"...
Beijokas.

Insana disse...

Lindo poema

Bjs insano da Insana

Related Posts with Thumbnails