O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quinta-feira, 21 de junho de 2012

Uma folha



Deita-se
Na superfície
Do rio
Uma velha folha

É como um barco à deriva.

Fico olhando-a ir-se com todo o meu coração...

RODRIGO DELLA SANTINA

3 comentários:

Santa Cruz disse...

Poucas Palavras mas lindas, adorei
Parabens aos dois a Ianê e ao rodrigo.
Santa Cruz

Ianê Mello disse...

Lindo, amigo Rodrigo!
Ando bastante ausente daqui, peço desculpas.
Agradeço pela sua presença aqui.

Beijos.

Poeta do Corpo disse...

Acompanho a algum tempo o blog... Sou reservado, confesso. Mas não pude me conter diante de tão profunda, lírica e desconcertantemente simples poesia... És poeta!

Related Posts with Thumbnails