O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




terça-feira, 10 de abril de 2012

Diálogo Poético: Ianê Mello e Joaquim Vale Cruz





ARTIMANHAS DO AMOR 


Suor e lágrimas
mescla de fluídos
cheiros
sentires
...
cheios de vazios
corpo e emoção

o amor brincou comigo
fui criança
...
mais uma vez

a correr pelos campos
sorriso no rosto
cabelos ao vento

crédula de tudo
zonza de vertigem
verdades secretas

a vida em cores
vibrante arco-íris de luz

o relógio
do tempo
parou

como fogueira
em brasa
ardeu
...
intensamente

agora
...
só cinzas



Ianê Mello



As artimanhas do amor
muitas vezes causam dor
e também lágrimas e suor
Mesclam, sentires, cheiros e fluidos
Cheios de vazios, corpo e emoção sentidos
Que tanto nos queimam, tal é o seu ardor…

E se o amor brincou comigo, ainda criança
também ele em mim deixou a esperança
quando corria pelos campos, sorrindo, cabelo ao vento
Que a vida tinha cores vibrantes e muita luz
e um arco-iris , tão belo que nos seduz
e que o amor, se é dor, é também contentamento

E ao acreditar em tudo, zonzo de vertigem
e nas verdades secretas da sua origem
O relógio do tempo, em mim jamais parou
E como fogueira, em brasa ardeu sem fim
e intensamente ainda está dentro de mim
E de suas artimanhas, nem só a cinza ficou…

JVC 

*
Foto de Anka Zhuravleva

9 comentários:

Zilani Célia disse...

OI IANÊ!
QUE LINDA ESTA INTERAÇÃO ENTRE DOIS POETAS, FALANDO AS MESMAS COISAS, DE FORMA DIFERENTE.
ABRÇS

Zilanicelia.blogspot.com
Click AQUI

Mirze Souza disse...

Belo, Ianê!

Beijos

Mirze

Toninhobira disse...

Beleza de dialogo com poesia derramando pelas palavras numa criação fantastica e sintonia perfeita.
Parabens duplo pela inspiração.
Meu abraço.

Janaina Cruz disse...

O amor tem dessas coisas, mas quem vive sem essa dorzinha, que tanto nos ensina e amedronta? Abraços

Santa Cruz disse...

Ianê e Joaquim lindissimo adorei o amor tem sempre dessas coisas.
Beijo para a Ianê e um abraço para ti.
Santa Cruz

Fabricante de Sonhos disse...

Que coisa mais linda esse blog!

Um carinho na alma...

Um beijo!

Milla Borges

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Nem as artimanhas ficam só o amor resta... ou não...
Bjm de paz

AnaClarissa disse...

E o contentamento de não haver só cinza de amor é o que nos preenche a alma...

Abraço

Marcelino disse...

O poeta Joaquim Vale consegue fazer da torrente de emoções expressas pela poeta Ianê um rio de agradável vista: diálogo perfeito!

Related Posts with Thumbnails