O Equilíbrio da Vida (TAO)


O excesso de luz cega a vista.


O excesso de som ensurdece o ouvido.

Condimentos em demais estragam o gosto.

O ímpeto das paixões perturba o coração.

A cobiça do impossível destrói a ética.

Por isso, o sábio em sua alma

Determina a medida de cada coisa.

Todas as coisas visíveis lhe são apenas

Setas que apontam para o Invisível.



(Tao-Te King, Lao-Tsé)




quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Dialogando com Magritte


Magritte


Da ponta de meus pinceis
 Dos traços em tons pasteis
    Das coisas que não são mais
Meus rascunhos surreais


Traço pinturas do imaginário
Guardados no inconsciente
Como num belo relicário
Imagino o pássaro nascente


Nascido e premente ele alça voo
Traça a meta, a princípio, precário
Alça um voo quase inalcançável
Era um pássaro astuto e não temente.

Seu voo, em busca da vida,
Que brota no sol nascente,
O arranca da tela do pintor
Para provocar criatividade na gente






Poesia Interativa - Colaboradores (em ordem de postagem): Felipe Carriço, Ianê MelloMirse Maria, Lice Soares

2 comentários:

Imagem e Poesia disse...

Olá, meu bom amigo!

Belo poema aqui exposto e a foto que o acompanha é pertinente.

Senti saudade de visitar blogs interessante e voltei a este "mundo encantado"!

Um abraço

Vanessa Souza Moraes disse...

Love Magritte.

Related Posts with Thumbnails